Cuba by You


"Venha conhecer a verdadeira Cuba antes que mude!" É com esta parangona que os operadores turísticos esperam abrir as portas do novo "El dorado" caribenho.

bootstrap slider

A frase peca por tardia. De facto Cuba está a mudar, e constantemente, mais precisamente desde o fim do séc XIX, numa altura em que os cubanos acreditaram que o colonionalismo espanhol estava a ficar fora de moda.
Daí para cá passaram por duas guerras da independência, algumas décadas de governação controlada por um potência estrangeira, uma tentativa de revolução falhada, guerrilha durante três anos, nova revolução com queda do ditador, tentativa de alinhamento falhada com os EUA durante a guerra fria, suporte efectivo da URSS no mesmo período, um embargo económico de mais de cinco décadas, miséria acentuada depois da queda do muro de Berlim, aposta forte no turismo a partir da década de 90, saída de cena de Fidel Castro, devolução do direito ao passaporte aos cidadãos cubanos e, recentemente, fim oficial do embargo imposto pelos EUA. E durante este tempo tão conturbado, ainda encontraram energia para inspirar multidões para o mito revolucionário Che Guevara, misturar os sabores africanos na gastronomia caribenha e oferecer ao mundo nomes como Ibrahim Ferrer ou Compay Segundo.

Como se não bastassem estes 120 anos de constante mutação na história cubana, quem te chama para a verdadeira Cuba, neste momento único, quer, de facto, levar-te uma semana para um resort de Varadero e, com alguma sorte, sugerir-te uma tarde em La Habana, na zona protegida e património da Unesco.
Ora...isso poderá ser Cuba, mas não é certamente aquela que quem lá vive conhece e recomenda.

Em 2016, uma equipa da Magellan foi para o terreno testar um percurso. Não é fácil preparar uma viagem a Cuba. A comunicação ainda é reduzida, os contactos também e nem sempre o que nos tentam vender se aproxima sequer da realidade. Fomos para La Habana com um contacto numa casa local. Tudo o resto seria incerto. O que se seguiu foi memorável e permitiunos construir o nosso caminho, fazer novas amizades e percorrer metade da ilha de Cuba, com transportes, estadias e algumas refeições, sempre proporcionadas pelos locais.

Depois de alguns dias na esplendorosa La Habana, seguimos para o vale de Viñales. Daí para a magnífica Trinidad, em seguida para um paraíso chamado Cayo Guillermo, para sempre associado à obra literária de Ernest Hemingway e, por fim, chegámos a Santa Clara, a cidade imortilizada por Che Guevara.

Se, por um lado, conseguimos descobrir, ao nosso ritmo, as cidades que tínhamos planeado, por outro lado, foi possível testar as ligações e estabelecer uma rede local que servirá de apoio a novos viajantes da Magellan Route.

Contamos voltar em 2017 com novos grupos. Contudo, para este destino em particular, teremos uma nova oferta, proporcionando a quem nos segue a possibilidade de viajar sozinho (fora das nossas datas de grupo), escolher um ou mais dos destinos enumerados (La Habana, Viñales, Trinidad, Cayo Guillermo e Santa Clara) e usar a nossa rede de apoio no local. O que significa isso? Dormida, refeições e transporte. Tudo verificado e validado por nós para que possas desfrutar de Cuba ao teu ritmo.

Esta oferta aparecerá no nosso site que está a ser actualizado para o efeito. Até lá, contacta-nos em info@magellanroute.com para mais informações sobre as nossas propostas de Cuba.
Aproveita para conhecer, agora sim, aquela que consideramos ser a verdadeira Cuba!


Informações

Nome*

Mensagem*